Era uma vez, uma girafinha mágica…

[Contextualizando: um dia, Tetê veio dormir aqui em casa. Lá pelas tantas, obviamente, ela não dormia. Eu tentava contar alguma história, mas temos poucos livros aqui. Então, não teve jeito e tive que usar o meu último recurso: a imaginação! Após ela cair no sono, eu escrevi a história para não me esquecer. Afinal, não é todo dia que você banca um irmão Grimm. O texto a seguir é a cópia do mesmo.]

Era uma vez uma girafinha mágica. Ela tinha asas nas patas. Ela usava seu poder para guiar o bando, achar comida, evitar perigos e achar novos amigos. Ela voava bem alto. Se você fechar os olhos, poderá imaginar ela voando acima das nuvens, na África.

Um belo dia, ela estava guiando seu bando para a longa viagem que fariam até o Japão, passando pela Índia e China. Então ela encontrou um lago mágico no alto da montanha gigante. Ela bebeu a água do lago e encontrou o urso mágico.

O urso mágico tomava conta do lago. Ele explicou para a girafa que a água dava vida eterna a quem a bebesse. Mas só funcionava com pessoas e animais bons. Se voce fechar os olhos, poderá ver o urso mágico.

Então a girafinha se despediu e voltou para a viagem. Eles andaram, andaram e chegaram à Índia. Lá, a girafinha mágica encontrou o lobo sábio. Ela perguntou ao lobo onde ficava o caminho para a China e o lobo disse: é fácil. Siga pela estrada de tijolos dourados, vire à esquerda, à direita, à esquerda de novo e chegará à China.

A girafinha se despediu e seguiu guiando seu bando e chegaram à China. Se você fechar os olhos poderá imaginar o bando chegando lá. Então eles bateram no portão da grande muralha, um longo muro que havia lá. E o gafanhoto velho abriu o portão. Ele disse à girafinha mágica que todos eram bem- vindos. E eles acharam tudo bonito. E pegaram um barco. Chegaram ao Japão.

2014-12-10 16.08.37Lá, eles encontraram o javali dourado. O javali parece um porco, só que tem dois chifres compridos no nariz . A girafinha mágica e ele ficaram amigos e, juntos, foram para a montanha roxa e construíram um grande castelo. O bando de girafas, a girafinha mágica e o javali dourado se mudaram para lá. Se você fechar os olhos, poderá imaginar este belo castelo gigantesco.

No quintal deste castelo, plantaram um montão de pés de jabuticabas. A girafinha mágica sempre pegava as jabuticabas mais altas porque podia voar. E o Japão era muito bonito. Se voce fechar os olhos, poderá imaginar todos eles, Tetê, felizes no lindo Japão, cheio de jabuticabas.

Acho que Tetê dormiu no final do primeiro parágrafo, em cima de minha barriga. Carreguei-a e a coloquei na barraca que o tio Ari e a tia Ana Luísa Mallet Kneipp nos emprestaram. Deve fazer uma hora agora, que ela, finalmente, dormiu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s