Só aqui, neste blog, o legítimo “Tire A Mão Da Minha Linguiça”

tireamaodaminha_kindleEm Minas, quando você se afasta da capital e, obviamente, aproxima-se do interior é assim: primeiro vem uma cidade que, dizem, é a “cidade da empada”. Aí você anda de carro e começam as placas dos restaurantes (restaurantes? Muitas vezes são barraquinhas disfarçadas de botecos ou botecos disfarçados de restaurantes o que, veja bem, não desmerece em nada o local):

“A legítima empada”.

A seguir, temos algo como:

“Aqui, a verdadeira empada”.

Em seguida:

“Aqui, a verdadeira legítima empada”.

Como não poderia deixar de ser, as placas se sucedem:

“Só aqui: a única empada verdadeira”.

“A empada legítima, verdadeira e deliciosa”.

“Pode esquecer o resto: aqui é que ocê (ocê mesmo) vai encontrá (idem) a verdadeira, legítima e deliciosa empada (patente requerida, uai)”.

Ok, posso ter exagerado um pouco em algumas das placas, mas não é divertido ver como a concorrência incentiva a economia de uma cidade (e todos ganham com isto)?

Não me tome como bairrista, leitor. Não é só em Minas que isto ocorre. Lembro-me de algo assim em Gramado, RS:

“Aqui, a verdadeira sopa no pão”.

Ao lado:

“Não, aqui é que tem a verdadeira sopa no pão, tchê”.

A idéia deve ser universal mesmo. Lamentavelmente, não temos placas como:

“Aqui, o verdadeiro e legítimo prefeito honesto”, “Somente aqui, vereadores que não aprovam pedaladas fiscais”, etc.

Bem, já que eu anunciei, né, aqui está o livro, para Kindle (e você não precisa ter um Kindle, mas basta ter aplicativos de leitura compatíveis) na Amazon.com.br.

Anúncios